A praga do gnosticismo

09,nov,2009 por Georges Nogueira
O traidor é o patrono dos gnósticos

O traidor é o patrono dos gnósticos

O termo gnosticismo deriva da palavra grega gnosis (conhecimento). Foi um movimento que se alastrou pelo oriente e em especial pela Ásia Menor no século segundo. Os gnósticos defendiam que possuíam conhecimentos espirituais secretos e elevados que, segundo os próprios, tornava-os superiores aos cristãos comuns que não tinham o mesmo privilégio. O grande perigo do gnosticismo residia em sua semelhança com o cristianismo, o que causava grande confusão entre alguns cristãos e em especial entre seus opositores. O movimento gnóstico derivou de algumas filosofias pagãs anteriores ao cristianismo, que floresciam na Babilônia, Egito, Síria e Grécia (Macedônia). Combinava elementos da filosofia pagã, da astrologia e mistérios das religiões gregas com as doutrinas apostólicas do Cristianismo, influenciando negativamente a Igreja. Apesar desta influência, era uma doutrina diametralmente oposta à sã doutrina bíblica, pois negava que Deus fosse o Criador do mundo e dos homens, assim como negava que Cristo tivesse tido uma vida física real.

A premissa básica do gnosticismo é uma cosmovisão dualista. E aqui foi dito que é, porque esta heresia permanece até aos dias atuais, como veremos adiante. De acordo com o gnosticismo, ”O Supremo Deus Pai emanava do mundo espiritual “bom”. E a partir deste ser supremo, procediam sucessivos seres finitos ou éons, até que um deles, Sofia, gerou a Demiurgo, que para eles era o deus criador, que teria criado o mundo material “mau”, juntamente com todos os elementos orgânicos e inorgânicos que o constituem até os nossos dias.

Alguns hereges gnósticos, como Marcion e Valentim, ensinavam que a salvação viria por meio de um desses éons, chamado Cristo, que se esgueirando através dos poderes das trevas para transmitir o conhecimento secreto ou “gnosis” conseguira libertar os espíritos da luz, que antes viviam como cativos neste mundo material terreno e mau, para conduzi-los finalmente ao mundo espiritual mais elevado. Destarte, conforme o gnosticismo que se intitulava “cristão” Cristo, embora parecesse ser um homem, nunca teria assumido um corpo físico, não sendo portanto sujeito às fraquezas e emoções humanas. Tal aberração significa dizer que Jesus não veio em carne, pois era apenas um espírito que por “traquinagem” nos enganou a todos finfindo ser humano.

Ainda no século segundo várias declarações básicas de fé que não poderiam ser modificadas ou reinterpretadas surgiram com o intuito de combater esta heresia que se espalhava como praga entre os cristãos, principalmente entre os menos instruídos na fé. Certos credos, muito semelhantes ao Credo dos Apóstolos apareceram em diversos lugares durante aquele período, e foram aceitos com naturalidade, pelo fato de muitos deles se constituírem na regra de fé da Igreja.

Existem evidências de que algumas formas de gnosticismo surgiram já na era apostólica, tendo sido o tema de várias epístolas do Novo Testamento, que combatiam vigorosamente essas heresias podemos citar como exemplos as cartas de I Jo, I e II Tm e Tt. A maior polêmica causada pelos gnósticos, contudo, aconteceu mesmo no período patrístico, em que os escritos apologéticos de Irineu, Tertuliano e Hipólito trataram de combater a heresia, confrontando-a com a Palavra de Deus.

Ainda hoje, muitos movimentos “esotéricos”, seitas e grupos ocultistas demonstram influências claras do antigo gnosticismo, e mesmo alguns tentam resgatar suas práticas e ensinamentos, o que recebeu grande impulso a partir da descoberta da biblioteca de Nag Hammadi,em 1945, que é uma coleção de escritos de conteúdo eminentemente gnóstico. O achado impulsionou o crescimento da heresia e das pesquisas sobre o assunto na segunda metade do século XX. Estes manuscritos totalizavam cinquenta e dois textos, em treze códices de papiro, escritos em copta. Entre as obras aí guardadas encontravam-se diversos tratados gnósticos, três obras pertencentes ao Corpus Hermeticum e uma tradução parcial da República de Platão. Parte deles conhecidos também como evangelhos gnósticos (o inimigo sempre tenta imitar e usurpar o que é Santo) Os Manuscritos Pistis Sophia, “Piste Sophiea Cotice” ou “Códice Askew”, atribuidos a Valentim.

Mais recentemente um outro documento gnóstico foi encontrado, gerando diferentes especulações sobre o verdadeiro relacionamento de Jesus Cristo com o seu discípulo Judas, este documento é chamado pelos gnósticos de evangelho de Judas. Alegam os gnósticos que o tal manuscrito é de autoria de Judas Iscariotes e que esteve desaparecido por mais de 1700 anos, tendo sido encontrado finalmente no Egito.

7 Comentários para " A praga do gnosticismo "

  1. FireHead disse:

    Boas!
    Gostava que parasses de me enviar e-mails para os meus dois endereços electrónicos. Apenas cá tinha vindo comentar uma ou outra vez, e não tenho intenção de participar doravante por aqui. Obrigado.

    • Caro “Cabeça quente”:
      Você foi o primeiro católico que frequentou nosso blog.
      Respeitamos a opinião e a privacidade de todos sempre. Eu sequer sabia que você tinha duas contas de e-mail. Eu não tenho como excuir suas contas porque não sei quais são.
      Mas como eu disse no início, nossas news-letters são enviadas com uma opção de opt-out.
      No rodapé de toda mensagem que o sistema envia, existe a opção de descadastramento.
      Procure, no rodapé da mensagem pelo texto:

      “Você recebeu este e-mail porque se cadastrou no blog ou foi indicado por um amigo. Caso não deseje mais receber mensagens do blog, clique aqui para se descadastrar. ”

      Basta que você clique no link que aparece neste texto citado acima, para que você seja redirecionado ao seu “painel de controle”, onde você poderá clicar em “Cancelar inscrição” Pronto, você descadastrou seu e-mail e não receberá mais nenhuma comunicação do blog.

      Qualquer dúvida basta perguntar.
      Em Cristo Jesus,
      Georges Nogueira.

  2. A igreja primitiva sempre lutava contra as doutrinas dos gnósticos . Mas É surpreendente notar a similitude entre as praticas e doutrinas dos gnósticos dos primeiros três séculos e as doutrinas das diferentes igrejas atuais.

  3. ANFITRIÃO disse:

    A justiça Cósmica (O CARMA) será implacável a quem se posicionar contra o MOVIMENTO GNÓSTICO CRISTÃO UNIVERSAL.

  4. Sr. ANFITRIÃO:

    O sr. pensa mesmo que poderá nos intimidar com uma ameaça de CARMA?
    Quem nos protege de tais coisas é o Deus vivo que a tudo criou e que tuo governa!

    NÃO TENHO MEDO DE NENHUM TIPO DE AMEAÇA!
    NADA é maior que meu Deus.

    Leia o Evangelho. Nele o Sr. verá que Deus é tardio em se irar, e que Ele está sempre pronto a receber quem se arrepende e confessa seus pecados, sem acepção. Isso inclui o sr.

    Orarei para que o Senhor seja tocado pela Verdade contida no Evangelho.
    Em Cristo,
    Georges Nogueira.

  5. tuskjaard maselg disse:

    o seu texto ainda é frágil, precisa de mais embasamento teórico.

    • Georges Nogueira disse:

      tuskjaard:
      Fique à vontade para demonstrar exatamente onde estão as fragilidades que você encontrou.
      Simplesmente dizer que é frágil não resolve. Diga-me exatamente qual é o ponto, e a partir daí poderemos debater.
      Apenas não fique na crítica vazia, porque essa não tem utilidade nenhuma.


Deixe um comentário

Para garantir a publicação de seu comentário, respeite nossa política de uso que você pode conhecer clicando aqui.

Antes de nos dizer que não podemos julgar, clique aqui e descubra que não só podemos como devemos.

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>