A vitória do Evangelho (ou como cinco pastores calvinistas me livraram do laço do inimigo).

02,jan,2010 por Georges Nogueira
auxílio

O que suas mãos ofertam?

Há alguns dias, encontrei na internet um blog de um certo “o bereano” que de bereano mesmo não tem nada, porque sua pregação não é pelo Evangelho ou contra a mentira e a heresia, mas contra as Igrejas cristãs que professam alguma fé que o blogueiro “bereano” não permite. Entre outros disparates encontrados em seu pobre blog, encontrei um intitulado “as heresias das Assembléias de Deus”. Como assembleiano, evidentemente, me senti ofendido pelo texto vil e leviano. E olhem que li o texto até o fim para ver se podia haver ali algum argumento que merecesse crédito. O fato é que o tal texto não se dispõe a denunciar alguma prática questionável ou qualquer comportamento absurdo flagrado em alguma Assembléia. Não. O texto era apenas um texto anti-pentecostal.

Ora, duvidar, e mesmo negar o pentecostalismo é um direito legítimo de qualquer cidadão, muito embora este auto-proclamado “bereano” não possa ser considerado um cidadão no exercício de seu direito, já que lança mão de um anonimato que nossa constituição não permite para propagar sua odiosa mensagem.

Movido por esta indignação (meu Deus, meus leitores descobrirão que sou humano e pecador por que me indignei) postei neste blog o artigo intitulado Em defesa da fé das Assembléias de Deus.

No mesmo dia em que postei tal artigo, eis que surgiu um comentarista para me repreender como se pode ver neste link. Ante a repreensão do leitor, cheguei a considerar se eu não havia errado.

Ao visitar o blog do comentarista em questão, li um post de sua autoria, em que acusava um certo pastor Ciro de ser covarde. Não que eu discorde do irmão Heitor, pois na experiência pessoal que tive com o pastor em questão ele se demonstrou bastante covarde mesmo, mas isso já é assunto para outro post, e o que está em discussão aqui é que o irmão usou justamente uma das palavras que eu havia utilizado no post que ele havia criticado, em atitude hipócrita, que só não chamei desde o princípio de hipócrita para não ser novamente acusado pelo mesmo de ser “baixo” e “sem argumentos”.

Ao perceber que o comentarista em questão agia exatamente da maneira que o mesmo qualificara de “baixa”, resolvi provocá-lo, deliberadamente, com a curiosidade de saber de material o mesmo seria feito. O desenrolar da discussão no blog de meu algoz calvinista pode ser conferido nos “prints” que podem ser vistos nos links abaixo:

Imagem 1Imagem 2, Imagem 3, Imagem 4.

Preferi tirar o print das discussões porque muito embora eu não queira crer que meu irmão Heitor pudesse apagar os comentários, coisa que ele condena, eu já o havia flagrado praticando o que ele condena em mais de uma oportunidade e a prudência é recomendada e elogiada na Palavra de Deus.

Como eu havia dito acima, provoquei o jovem diácono para ver qual seria sua reação, afinal, nas palavras do mesmo, ele não poderia jamais ser hostil, ou se utilizar de palavras baixas. Neste ponto de minha narrativa, quero recordar a todos os leitores que foi o nosso amado irmão em Cristo Heitor, quem primeiro se dirigiu a este blog para me “repreender”.

O leitor que se der ao trabalho de visualizar a primeira imagem acima verá que copiei o comentário do irmão e colei-o em seu blog. Vejam, também, que ele fez questão de me nominar como membro da Assembléia de Deus e afirmar que eu havia atacado um calvinista. Até aqui, a postura do jovem diácono em nada se difere da postura de u líder de torcida organizada: “Ele pertence à outra torcida, matem-no”.

Na terceira imagem acima, vemos nosso amado diácono reformado fazer tudo o que havia condenado até este momento: primeiro, teta dizer que quando ele chama alguém de covarde, o significado é diferente de quando sou eu quem chama. Em seguida, diz que eu estou “atacando a moral” de seu amigo anônimo, e que eu deveria me utilizar de algum argumento bíblico.

Logo em seguida, pasmem, nosso diácono amado parte para o ataque, demonstrando seu verdadeiro caráter ao atacar não somente a mim, mas a TODOS os assembleianos, dizendo entre outras coisas, que nós não nos importamos com ofensas ao Senhor Jesus, nos apegando a “dogmas”.

Neste momento, o nosso ainda (graças à misericórdia infinita de Deus) amado diácono faz exatamente tudo o que havia condenado até aqui: parte para a ofensa generalizada e gratuita, rebaixa o tom da discussão, ignora completamente todo e qualquer argumento bíblico ao me atacar sem qualquer argumento racional. Neste ponto, nosso irmão em Cristo já estava mais que desmascarado. Tanto que quando lhe afirmo que está desmascarado, os leitores podem ver na imagem 4 que nosso amado, culto e tão superior irmão calvinista responde apenas “hum”.

A esta altura, eu estava realmente convencido de que a atitude mais correta que eu poderia adotar seria postar uma série de artigos combatendo a doutrina calvinista, já que como o próprio irmão Heitor havia escrito em seu blog, aquela era uma guerra entre calvinistas e assembleianos.

Confesso publicamente, para minha vergonha, que fui dormir naquele dia completamente tomado pela ira e pela vontade de humilhar publicamente e absolutamente aquele arrogante calvinista!

Ao acordar no dia seguinte, tinha em mente apenas que precisava combater os calvinistas, e todo o resto era secundário. Enquanto pensava em formas contundentes e mordazes de externar meu genuíno desprezo pelos satânicos calvinistas, lembrei-me por um instante que possuo muito amigos calvinistas a quem amo e respeito.

Neste momento, lembrei-me de que muitos destes meus amigos calvinistas dividem comigo quotidianamente a alegria do aprendizado cristão no seminário onde curso teologia. Amigos sinceros que dividem comigo a árdua tarefa de combater as muitas heresias que representam, essas sim, perigo para o Evangelho. Concluí que para não ofendê-los, resolvi que enviaria um e-mail a todos os meus amigos calvinistas, expondo-lhes que eu estava sendo vítima de alguns calvinistas arrogantes, e que desta forma eu não via outra alternativa que não postar uma série de artigos combatendo o calvinismo.

Assustei-me com a quantidade de amigos calvinistas aos quais eu estava enviando esta explicação. Enviei o tal e-mail, e enquanto aguardava as respostas, me dediquei a procurar a forma mais irônica e mais mordaz de combater a doutrina calvinista em meu blog. As respostas de meus amigos mais próximos, não me surpreenderam. Todos disseram que me conheciam, que manifestavam seu apoio a minha pessoa e que não se chateariam caso eu ofendesse alguns calvinistas mais “aloprados”. Alguns mesmo brincaram, mandando mensagens como “dá-nele!” ou “fogueira para o infiel”. Nenhuma surpresa.

O que me surpreendeu de fato foi a reação de cinco calvinistas que só conheço pela internet, todos entre seis meses e um ano, e todos pastores. As respostas desses homens de Deus sim, fizeram toda a diferença.

Enviei meu e-mail às 11:55 do dia 29 de dezembro de 2009. Entre as 12:03 do dia 30 e as 12:39 do dia 31, ou seja, em cerca de 24 horas, cinco pastores calvinistas que não conheço pessoalmente, mas com os quais mantenho fraternas e respeitosas relações pela internet, me deram uma lição acerca da temperança e do verdadeiro espírito Cristão.

O pastor batista Wellington Aleixo me disse em seu e-mail de resposta: “já li todos os textos de seu blog, e, sinceramente, não saberia dizer se foram escritos por um calvinista ou não. Apenas os reconheço como verdadeiramente cristãos”;

O pastor batista Marcelo Souza escreveu: “meu irmão pode contar com meu apoio para combater esse tipo de postura no meio cristão, venha de que denominação vier”;

O Reverendo Ronaldo Bezerra (presbiteriano) escreveu: “Você vai ser atacado por arminianos também só por manter amizade com calvinista … tem gente que quer ser mais calvinista que Calvino.”;

O Reverendo Gilson Soares (presbiteriano) escreveu: “Esses que procuram e semeiam contendas entre os cristãos são pedra de tropeço e nos envergonham a todos”;

O Reverendo Olivar Alves (presbiteriano) escreveu: “Não sabia que o irmão é assembleiano e nem mesmo arminiano. O que li da sua lavra sempre foi muito equilibrado e sadio doutrinariamente falando. (…) Concordo plenamente com o irmão de que existe muitos calvinistas arrogantes e pentecostais estultos. Ambos para mim revelam ser “meninos na fé” ou ‘macacos’ imitadores.”

Como louvo a Deus pela vida destes homens realmente compromissados com o Evangelho! Seus exemplos me fizeram corar de vergonha e me arrepender imediatamente de minha postura anterior. Eu, que sempre me coloquei neste blog como defensor intransigente do Evangelho ignorei este mesmo Evangelho ao me deixar levar por uma contenda artificial. Bastaram dois ou três “meninos na fé” para que eu me afastasse de meu propósito primeiro.

Como que complementando a mensagem que o Senhor tinha me reservado, o amado pastor dirigente de minha congregação, servo de Deus a quem aprendi com os anos e com a experiência cristã a respeitar e seguir o exemplo, nos advertiu, a todos os obreiros da congregação, a buscar neste ano que se inicia um ano de paz e convivência cristã com todos, e minha esposa, pela primeira vez, me entregou um texto para postar no blog, falando justamente dos “homens de Deus” que se ocupam única e exclusivamente de falar mal e injuriar uns aos outros, relegando a pregação do Evangelho ao segundo plano.

Eu poderia simplesmente ter silenciado a respeito de tal episódio, mas caso o fizesse perderia esta excelente oportunidade de confessar publicamente meu erro, bem como deixaria de dar o testemunho devido sobre estes ungidos homens de Deus.

Aos amados pastores que citei acima: eu sempre me senti um privilegiado por ser pastoreado por um homem de Deus de postura exemplar e irrepreensível. Pois eu tenho a mais absoluta certeza de que todos os membros das congregações dirigidas por vocês estão exatamente na mesma condição. Aprendi com todos vocês, em um dia, o que não aprendi durante o último ano inteiro no seminário.

Mais uma vez, vocês são todos detentores de minha profunda admiração e respeito. Louvo a Deus por suas preciosas vidas, e agradeço a Ele por ter me permitido estabelecer amizade com vocês.

Quanto ao meu irmão Heitor e seus amigos, creio que precisarão encontrar outro adversário para sua peleja, mas contem comigo sempre que precisarem de mais um par de braços em qualquer trabalho de evangelização, para honra e glória do Senhor!

Trackbacks/Pingbacks para este artigo

  1. palavraqueliberta.com.br Como conheci o arminianismo
  2. Resposta a um cristão sincero | A Palavra que Liberta

13 Comentários para " A vitória do Evangelho (ou como cinco pastores calvinistas me livraram do laço do inimigo). "

  1. Cynthia Nogueira disse:

    Fico realizada em ver um cristão render -se ao perdão de suas falhas e buscar em Deus a razão para sua redenção.
    Entristeceu-me em demasia o texto que foi o mote inicial para a sua defesa da Assembléia de Deus, porém compreendo o seu ato e não posso deixar de manifestar que também faria o mesmo. E também me entristeceu ver que homens que se entendem escolhidos, primeiro se ocupem de atacar a dicotomia humana do entendimento teológico, conforme suas razões e que para o evangelho em nada se aproveita.
    Não vi e não vejo na Bíblia, nenhuma recomendação de Cristo de que deveríamos seguir os seus seguidores, mas deveríamos seguir os seus ensinamentos.
    Pouco me importa a quem direcionar sua fé, se não estás respaldado em Cristo de nada adianta distribuir entendimento humano.
    Lamentei e o Senhor me ouviu. Que Ele continue a te direcionar pela busca da verdade e da sã doutrina. Que não se deixe levar pelos meninos (que de pequeninos é dóceis não tem nada) e nem ser mordido pelos cães. É impossível agradar a todos e eu mesma duvido muito do profeta que assim o faz.
    Louvo a Deus pela sua vida e só posso oferecer a você minhas orações.

    Feliz pela restauração que CRISTO sempre promove.

    Cynthia.

  2. Heitor Alves disse:

    Olá Georges.

    1 – Quero frisar que você poderia incluir os links dos comentários, visto que jamais os apagaria. E para comprovar, eles ainda estão lá.

    2 – Digo a você que tenho muitos amigos arminianos e pentecostais. Já trabalhei numa livraria evangélica pentecostal e ali eu pude ver como são simpáticos os pentecostais!

    3 – Enquanto estive na livraria Deus me abençoou bastante a ponto de assumir várias funções lá. Sempre continuei a apreciar os irmão pentecostais. Inclusive, sabe qual foi a igreja que pagou todo o meu casamento? Uma igreja pentecostal, visto que me casei com uma membra dessa igreja.

    4 – Então, como pode perceber, não sou assim tão radical como imagina. rsrsrs.

    5 – Não tenho motivos para chamar os pentecostais de “satânicos”, “dá-nele!” ou “fogueira para o infiel” (mesmo que seja na brincadeira), “macacos imitadores” ou qualquer outra coisa. Nossas diferenças teológicas são apenas teológicas, não na nossa conduta de santidade perante a Deus.

    6 – Lamento se você vai ser atacado por arminianos só por manter amizade com calvinista. Sabendo disso, esta será a última vez que visito este blog.

    7 – Mas uma coisa me consola: se não posso ter a sua amizade, pelo menos eu tenho uma multidão de pentecostais amigos meus, de verdade! Inclusive uma igreja inteira, como mencionei.

    • Caro Heitor:
      Faço questão de não deixar de responder a nem uma sequer das linhas que escreveu, para que não reste dúvida a ninguém acerca de quem nós somos e como estamos. Por este motivo tomei a liberdade de numerar as questões que você levantou em seu comentário.
      Quando você veio até o meu blog pela primeira vez, você veio como homem espiritual, me dizendo que eu deveria aprender a lidar com as críticas, e é este o mesmo pedido que lhe faço. Nas próximas linhas serei duro e firme com você, mas o farei em nome do verdadeiro amor cristão. Exorto-o como a um irmão amado e peço que pondere acerca do que vou lhe dizer, porque minhas palavras serão duras, porém nelas o irmão não encontrará mentira ou dolo. Vamos às questões que você colocou:

      1 – Como eu disse no artigo, não confiei no irmão, porque você se mostrou falso e mentiroso em tudo o que disse, e o fez mais ainda neste último comentário, como passo a mostrar adiante.

      2 – você diz que tem amigos arminianos e pentecostais. Estes seus amigos sabem da maneira desrespeitosa e humilhante pela qual voê se refere a eles e à sua fé? Gostaria que você mostrasse a eles os textos de seu blog, como o que colo abaixo:

      ” (…) quero mostrar que a tão antiga “verdade pentecostal” ainda continua sem fundamento bíblico. Desejamos de coração, que, ao ler essas poucas linhas, a igreja de Cristo se fortaleça contra a mentira e toda a farsa de uma religião humana que tem se alastrado pelo Brasil e pelo mundo, conduzindo vorazmente uma grande multidão ao erro e a uma religião não bíblica (…).”

      Este texto foi retirado 4º parágrafo deste link. É assim que você trata seus amigos, meu irmão? E você considera este comportamento cristão?

      3 – O irmão já teve coragem de dizer em um culto desta Igreja que pagou pelo seu casamento o que disse neste blog e que colo abaixo?
      “Eu tenho, sim, no site, uma seção específica sobre o “Pentecostalismo” porque creio ser o pentecostalismo um mal a ser combatido.”

      Foi comentado por você neste link.

      Já disse a esta Igreja da qual você recebeu o dinheiro e os favores com alegria que ela é um mal a ser combatido? Ou você não teve a hombridade e a dignidade de dizer-lhes as palavras que lhe vão ao coração?
      Seja cristão. Seja honesto e verdadeiro!

      4 – Dispenso os risos que o irmão colocou neste item (rsrsrs), porque estamos falando de assuntos muitíssimo sérios. Tratamos aqui de salvação de almas, de respeito aos irmãos em Cristo e nada disto pode ser tratado a risadinhas. O irmão só pode estar sendo cínico ou me tomando por tolo ao dizer que não é tão radical, e em seu blog afirmar que o “arminianismo é do inferno” como faz em seu blog neste link.

      5 – Aqui o irmão se supera na arte da mentira e da hipocrisia! Se não tem motivos como alega, e veja que tudo que o irmão contesta neste parágrafo de seu comentário me foi dito por calvinistas, com a diferença de que são cristãos dignos e sinceros que honram suas posições teológicas sem ofender a quem pensa diferente. Aqui, caso não bastassem todos os exemplos acima para lhe desmentir, eu ainda recomendaria que lessem seu artiigo: “o calvinismo e a velha heresia arminiana”, que pode ser lido neste link.

      6 – mais uma vez, quem me alertou a esse respeito foi um pastor calvinista a quem tenho respeito e estima. Não seja falso também em suas motivações. Quando o irmão viu que eu poderia me enredar em sua estratégia de me digladiar com outro cristão motivado por doutrinas de homens, o irmão disse: “Vou acompanhar suas próximas postagens para ver o que tens a dizer.” e mais ainda: “espero que os debates que virão (com certeza virão!!!) fiquem apenas no campo das idéias, e não passem para o lado pessoal.” Ambas as frases postadas por você neste link.

      Como eu disse que não me deixaria levar pela sua vã discussão, você agora diz que não voltará a este blog. Agindo desta forma, que autoridade o irmão imagina ter para chamar a outros de covardes?

      7 – amigos seus de verdade enquanto não sabem que o irmão afirma que são um mal a ser combatido, uma religião anti bíblica e que são do inferno, não é verdade?

      Meu irmão, fiz questão de refutar cada uma das levianas mentiras que você contou em seu comentário, no intuito de que você mude sua prática. Se você não é capaz de mudar seu discurso e manter sua divergência de visão apenas como uma diferença menor e tratar com respeito aos que pensam diferente de você mas igualmente estão salvos, pelo menos tenha a dignidade de assumir publicamente suas posições rancorosas e desagregadoras. Pensando de uma forma e mentindo que pensa de outra, principalmente se você o faz para tirar proveito financeiro como você fez no triste episódio de ter seu casamento pago por uma igreja que você odeia e condena, você se coloca como o “sepulcro caiado” a quem o Senhor Jesus se refere na Escritura. Se o irmão não tem ainda maturidade cristã para corrigir sua postura hipócrita e arrogante por ainda ser muito novo ou mesmo despreparado emocionalmente, pelo menos se porte como homem que sustenta suas posições. O irmão é obreiro de uma Igreja do Senhor Jesus e é casado. Fica muito feio para um diácono e mais feio ainda para um pai de família se portar com tamanha leviandade.
      Para os demais leitores do blog, quero lembrar que aqui não fiz nenhuma refutação à doutrina calvinista ou a qualquer outra. O que refutei foi a mentira e o mal caráter de uma pessoa isoladmente. Mesmo assim o fiz de forma leal, apesar da dureza de minhas palavras. Espero realmente com a humildade de quem percebeu que estava prestes a ser induzido ao erro, que o irmão possa refletir em suas atitudes e corrigí-las antes que seja muito tarde para você. Não se ire comigo, não me tenha como inimigo. Saiba que serei o primeiro a divulgar sua mudança de postura assim que ela ocorra, e espero em Cristo Jesus que tudo isso possa ser superado pelo irmão para que possamos construir uma verdadeira, sólida e fraterna amizade como a que criei com meus irmãos calvinistas e que impediu que eu fosse levado pelo erro ao não dominar minhas emoções.

      Que Deus o abençoe fartamente e lhe fortaleça a fé de forma que o irmão não precise mais diminuir a Igreja alheia para se sentir bem com a doutrina que defende, é a oração que farei a cada dia pelo meu amado irmão Heitor!

  3. Ricardo Mamedes disse:

    Caro irmão Georges,

    Como eu disse no post da “disputa” , repito aqui: as diferenças de viés teológico não podem e não devem ser motivo para desarmonia entre irmãos. Certamente que a teologia não salvará quem quer que seja, mas a palavra de Deus, que é o verdadeiro instrumento para levar a salvação (Evangelho de Cristo) aos homens.

    Sei que o irmão é um homem comprometido com essa Verdade. Como eu afirmei em seu blog (no post em referência), gostei muito do seu posicionamento equilibrado, não importando em nada o seu viés teológico: sou reformado e você é arminiano, somos irmãos.

    Um grande abraço. É um prazer interagir com você neste espaço propositivo.

    Em Cristo,

    Ricardo Mamedes

    • Amado irmão Ricardo:
      Que nosso Senhor Jesus seja o nosso foco, e sempre maior do que as doutrinas de homens, nos permita realizar a sua obra com temor e tremor!

      Que Jesus lhe abençoe ricamente.
      De seu irmão em Cristo Jesus,
      Georges Nogueira.

  4. Clóvis disse:

    Georges,

    Li o texto indicado. Espero que o os une (Georges e Heitor) sobreponha-se ao que os distingue.

    Em Cristo,

    Clóvis
    Editor do Cinco Solas

  5. Francamente! Eu jamais me casaria com uma mulher que fizesse parte de uma igreja com a qual não concordasse, e que achasse que tal igreja fosse herética e que eu devesse combater! Muito menos ainda, aceitar que arcassem com as despesas do meu casamento!!! E como fica agora? Casado com uma herética, tendo o casamento custeado por inimigos, cujas idéias deve combater! No outro artigo, eu praticamente defendí o Heitor, quando disse que o irmão Georges deveria considerar o por quê de suas colocações. Mas agora vejo-me em palpos de aranha e, embora certo das minhas convicções quanto aos abusos praticados hoje em dia por grupos neo-pentecostais ( Ministério de Restauração, Mundial do Poder de Deus, Universal, Internacional da Graça, Renascer em Cristo e alguns grupos assembleianos dissidentes), creio que devo desculpas ao irmão Georges. Parabéns pelas suas posições, embora eu o tenha achado um tanto quanto “com os cascos afiados”. Mas…tudo bem, tem dias que eu também me esqueço que devo me comportar como ovelha, e costumo dar alguns coices e mordidas!!!

  6. Nilton disse:

    Nossa! quanto espiritualidade… fico imaginando o que não deve passar na cabeças de um incrédulo ao ler um blog destes.

  7. JOSIEL DIAS disse:

    Olá meus queridos Irmãos.
    A Paz do Senhor Jesus Cristo.
    Fiquei muito feliz em conhecer este espaço abençoador.
    É o que sempre digo: Aprendendo uns com os outros crescemos na graça e no conhecimento.
    Gostaria também de compartilhar o nosso blog
    ” Mensagem Edificante para Alma”

    Gostaria da visita e comentarios dos meus irmãos.

    Josiel Dias
    Cons Missionário
    Congregacional
    Rio de Janeiro

  8. fabiano sales disse:

    Os calvinistas criticam os pentecostais, mas seria bom que eles não esquecessem que os mesmos seguem uma teologia defasada criada por um assassino (João Calvino).

  9. fabiano sales disse:

    Um dos maiores defeitos de um ser humano é ele ser calvinista, pois segui uma teologia feita por um assassino. Segundo os próprios Calvinistas, nos primeiros anos de governo, João Calcino matou 58 pessoas por discordarem dele; 4000 padres; 1200 freiras foram estupradas e mortas, 200 Igrejas foram saqueadas e seus valiosos vasos roubados e os mesmos serviam para transportar o dinheiro que servia de pagamento para o exercito mercenário de Calvino. Calvino ainda mandava pegar as vísceras de pessoas que eles matavam e enchiam de capim e davam para os seus cavalos. Terá alguma credibilidade uma teologia criada por um assassino????.


Deixe um comentário

Para garantir a publicação de seu comentário, respeite nossa política de uso que você pode conhecer clicando aqui.

Antes de nos dizer que não podemos julgar, clique aqui e descubra que não só podemos como devemos.

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>