Eleição: incondicional na visão calvinista

07,jan,2011 por Olivar Alves Pereira

Por causa do pecado de Adão, todos nós perdemos o direito à salvação. A salvação do pecador não é um direito que lhe assiste, mas, sim, um ato livre da soberana vontade de Deus. Ele salva a quem Ele quer assim como não salva a quem não quer (Rm.9.14-18). A salvação nunca foi e nunca será um merecimento nosso, mas, sim, um ato misericordioso de Deus que poderia muito bem ter condenado a todos por causa do pecado, mas, que mesmo assim ainda quis ser misericordioso conosco por que é rico em perdoar e em amar.

A nossa salvação nunca foi nem nunca será resultado de nossas obras, até mesmo porque como vemos em ,Is 64.6, o melhor das nossas obras é “trapo da imundícia” (ou seja, ataduras que cobriam as feridas dos leprosos).

Por mais difícil que seja para nós entendermos essas verdades, devemos levar em conta o que a Bíblia diz. Veja os seguintes textos:

“Por isso, o SENHOR cuidou em trazer sobre nós o mal e o fez vir sobre nós;  pois justo é o SENHOR, nosso Deus, em todas as suas obras que faz, pois não obedecemos à sua voz” (Dn 9.14).

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Is 55.8-9).

“Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos, benigno em todas as suas obras” (Sl 145.17).

“Porque a palavra do SENHOR é reta, e todo o seu proceder é fiel” (Sl 33.4).

“Bendizei ao SENHOR, vós, todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR” (Sl 103.22).

A nossa dificuldade em entender o que a Bíblia fala sobre esse assunto se dá porque vemos os fatos do nosso ponto de vista e não do ponto de vista de Deus. O pecado não nos é tão ofensivo quanto o é para Deus. Ele é quem foi ofendido em Sua santidade, Ele é quem arcou com todo o “prejuízo” (ver Suas criaturas perfeitas correrem para o pecado atendendo à sugestão maligna do diabo, e para salvar esses pecadores miseráveis deu Seu Santo Filho para morrer no lugar desses pecadores), e mesmo assim, nos salvou porque quis, por que é misericordioso e rico em perdoar.

Em Romanos Rm 3.23 lemos: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”. Na versão Revista e Corrigida, em vez de “carecem da glória de Deus” lemos “destituídos estão da glória de Deus”. Ser destituído é perder o direito a alguma coisa, no caso, a glória de Deus. Somos salvos não porque merecemos, mas porque carecemos.

Quando nós reformados afirmamos que a eleição é incondicional com isso estamos dizendo que não havia no homem qualquer condição favorável pela qual ele pudesse ser escolhido por Deus para salvação. Um escolhido de Deus não o é por ser melhor do que os outros, até mesmo porque todos somos pecadores e qualquer pecado que o homem tem é suficiente para fazer com que ele merecesse o inferno e não o céu. A nossa condição (situação) de pecadores nos destituiu de quaisquer benefícios diante de Deus. Assim sendo, qualquer bênção e especialmente a salvação (Rm 8.32) é um dom gracioso de Deus, e nunca, nunca um merecimento do pecador.

31 Comentários para " Eleição: incondicional na visão calvinista "

  1. Olivar Alves disse:

    Georges,
    Sei que as figuras que você usa nos artigos são para ajudar a compreendê-los. Mas, essa figura que você usou para esse artigo aqui, onde primeiro vem a cruz e depois a figurinha dos “escolhidos”, está expressando uma inversão do que é a Eleição incondicional. Primeiramente, Deus escolheu quem Ele quis e depois executou a salvação com meio da cruz.
    É certo que aqui acabamos por entrar na questão sobre infralapsarianismo e supralapsarianismo que não vem ao casso aqui.
    A sugestão que lhe faço é inverter o desenho. Primeiro (da esquerda para a direita) vem os escolhidos e em seguida a cruz de Cristo. Isso faz mas juz à ideia da doutrina exposta aqui.

    • Georges Nogueira disse:

      Reverendo:
      peço desculpas pela falha. A imagem em questão tratava de expiação limitada, e não de eleição incondicional.
      Foi substituída por outra que creio que seja mais coerente com o assunto tratado.
      E obrigado pelo alerta.

    • Arthur disse:

      irmao , vc é um poço de conhecimento !!!! gostei muito do seu ponte de vista, e acima de tudo da observaçao que vc fez no comenterio do georges nogueira. quero ter a horra de ser seu amigo, fica na paz do senhor jesus tenho certeza que irei irriquecer meus conhecimentos ao seu lado !!! deus te abençoe .

  2. Olivar Alves disse:

    Meu amado irmão,
    Você está plenamente, totalmente e absolutamente perdoado pelo equívoco anterior (risos).
    Especialmente depois dessa nova imagem que você colocou. Ela expressa de forma muito clara e objetiva o que essa doutrina ensina.
    Muito obrigado mesmo!!
    Olivar

  3. João Carlos Ferreira Batista disse:

    olá,irmão,paz do Senhor Jesus!
    gostei do texto Reverendo,é bem esclarecedor,só que tenho duvidas,como o irmão mesmo disse:”Quando nós reformados afirmamos que a eleição é incondicional com isso estamos dizendo que não havia no homem qualquer condição favorável pela qual ele pudesse ser escolhido por Deus para salvação.”,estou em pleno acordo com o irmão,me ajude em minha duvida,porque Deus escolheria só “alguns” sendo que todos estão na mesma situação?

  4. Olivar Alves disse:

    Amados João e Georges
    A resposta para a pergunta dos amados é: o amor de Deus.
    Quando escolheu alguns (o que não é necessariamente poucos, pois, Apocalipse falha de milhares de milhares), o fez não por haver merecimento da parte desses, mas, sim, por carecimento de serem salvos, “pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” e a menos que Deus quisesse restituí-los de volta à Sua glória estes jamais teriam conseguido essa bênção.
    Lembro-lhes ainda, Rm.9.16: “Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus sua misericórdia”, ou seja, só depende da misericórdia de Deus a nossa salvação.
    Não há qualquer “furo no dique” nessa afirmação. O problema nosso é que ficamos pensando “Mas, Deus não faz acepção de pessoas”, e assim tomamos erroneamente um texto bíblico. Fazer acepção de pessoas é negar o direito a alguns quando na verdade todos tinham o tireito de receberem alguma coisa, como por exemplo numa sala de aula todos os alunos têm direito a fazer a prova e passarem de ano. mas, eu,fazendo acepção de pessoas dou a prova apenas para uma meia dúzia e quando os demais reivindicam o direito deles eu simplesmente respondo: “Eu não quero dar a prova pra vocês, e pronto”. Assim eu estou sendo injusto. Mas, no caso da nossa salvação, quem de nós merecia asalvação? Ninguém. Por isso Deus é revelado como misericordioso e amoroso, pois, salvou pecadores quando na verdade todos, digo, todos, mesmo merecíamos o inferno. Devemos ter em mente que se Deus não quisesse salvar ninguém, Ele poderia ter feito e mesmo assim ser reconhecido como justo que é. Acontece que Ele também se deua a conhecer como Justo e Misericordioso (Justo exigindo a devida punição dos nossos pecados, e misericordioso, mandando Seu Filho para morrer em nosso lugar, pois, doutra forma continuaríamos perdidos).
    Abraços
    Olivar

    • João Carlos Ferreira Batista disse:

      eu bem sei que a salvação não é mérito nosso,o fato de sermos salvos é pela infinita graça e misericórdia de Deus,não porque nós merecemos,creio que a eleição é incondicional pelo fato de o homem não ter mérito nenhum na salvação,mais diante de textos como(JO 3:16),eu continuo crendo que ela(a salvação),é incondicional para todos…
      obrigado pela sua resposta Reverendo,paz do Senhor Jesus Cristo!

      • Olivar Alves disse:

        Amado João,
        Quenem paraquedas de português “Tô contigo e não abro”. Concordo com você.
        Quantoa João 3.16 só ressalto o seguinte:
        “Todo o que Nele crê”, só crê porque Ele primeiramente lhes deu vida estando o sujeito “morto em delitos e pecados”. É por isso que a eleição é incondicional, porque eu estava incondicionalmente sem nada de bom em mim para Deus me salvar.
        E hoje, a minha condição é boa porque ele me salvou.

        Olivar

        • João Carlos Ferreira Batista disse:

          bom,para finalizar,eu creio que a vontade de Deus é que todos sejam salvos,mais muitos não vão responder ao chamado de Deus,mais quanto a eleição realmente ela é incondicional…eu falo por mim mesmo,se Deus não me salvasse acho que nem vivo eu estava mais.
          Deus nos abençoe em Cristo Jesus!

          • Georges Nogueira disse:

            Pois eu vou provar para o irmão, em meu próximo artigo, que a eleição é condicional. E vou além, vou lhe mostrar que a Igreja Presbiteriana do Brasil também concorda comigo que a eleição é condicional.
            Estou trabalhando no artigo agora mesmo.

            • João Carlos Ferreira Batista disse:

              irmão,na verdade eu nem sei mais,não entendo muito bem,creio que é condicional,porque tem a responsabilidade humana de responder a Deus,mais que nós somos salvos somente pela graça de Deus,e que não merecemos a salvação,aguardo o procimo artigo.

              • Olivar Alves Pereira disse:

                João,
                Devo deixar bem claro que quando afirmo que a elição é “incondicional” estou tendo em vista o ato soberano de Deus antes da fundação do mundo, antes de tudo existir e ter acontecido.
                No momento em que você pensa que ela é condicional por exigir uma resposta do homem, eu concordo plenamente com você. O homem deve responder ao chamado de Deus, pois, do contrário (condição!) ele não apropria-se da salvação. Quando penso em “incondicional” tenho em vista Deus olhando para mim lá na eternidade e dizendo: “Pobre miserável! Se eu não o quiser salvar está totalmente perdido, pois, tudo nele fede em meu nariz” (cf. Is 64.4). Mas, quando eu respondi ao chamado de Deus no tempo e espaço por Ele estabelecidos, eu só o fiz porque Ele me deu vida em cristo (Ef 2.1) capacitando-me a sair da cova da corrupção em que me encontrava (Ef 2.8-10).
                Agora, quanto a esse negócio de Deus QUERER salvar todos, mas, NÃO CONSEGUIR porque o homem não quis, isso pra mim é heresia das mais grossas,pois, diminui Deus, O rebaixa à condição de um demiurgo (um deus de 5ª categoria) que até quer mas, não pode fazer, ao passo que a Bíblia diz que é Deus quem efetua em nós tanto o querer como o realizar.
                E digo mais, (falarei sobre isso quando tocar no assunto “Expiação Limitada”) se Deus colocou como única forma de nos salvar o derramamento do sangue do Filho Dele, e mesmo Cristo tendo morrido pelo irmão “Zé do queijo”, e o irmão Zé do quijo foi para o inferno apnesar de Cristo ter derramado o sangue por ele, então o pecado do Zé do queijo (que no caso é o da incredulidade) é maior que o sacrifício de Jesus. Pra mim isso é outra heresia das mais doloridas.
                Agora eu quero ver o Georges me provar o que ele disse. Fiquei curioso!!!
                Abraço
                Olivar

  5. Olivar Alves disse:

    Amados, uma correção
    Quando disse: “Quando escolheu alguns (o que não é necessariamente poucos, pois, Apocalipse falha de milhares de milhares)”, não quis dizer “Apocalipse falha…” mas, sim, “Apocalipse fala”.
    A falha foi minha como sempre, rrrsss.

    Olivar

  6. Olivar Alves disse:

    Irmãos uma correção
    Quando disse “Quando escolheu alguns (o que não é necessariamente poucos, pois, Apocalipse falha de milhares de milhares)”, mas sim “Apocalipse fala…”. A falha foi minha como sempre,rrsssss

    Olivar

  7. Arthur disse:

    irmaos vcs sao um poço de conhecimente eu to me sentindo um nada perto de vcs… mas é isso aí eu tou tabem nessa fé. quem me dera se deus me permitice ter amigos dom esse discernimento… paz do snehor pra vcs irmaos

  8. João Carlos Ferreira Batista disse:

    caro Reverendo,paz do Senhor…
    em parte,por enquanto eu concordo que o homem é mal,e que Deus nos salva por sua eterna vontade,mais ainda assim creio que cristo morreu por todos os homens,portanto se a eleição é incondicional ela é para todos os homens…Deus que salvar a todos,caso contrario como o Reverendo me explicaria isso:(2 Pedro 3:9)? “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco,NÃO QUERENDO QUE ALGUNS SE PERCAM senão que todos venham a arrepender-se.”
    amém.

    • Olivar Alves disse:

      João, entendo sua dificuldade. Pra lhe ser bem sincero, eu prefiro o termo “Eleição Imerecida” a “Eleição Incondicional” para evitar essas dificuldades. A Eleição (Salvação) é totalmente imerecida para nós, pois, se houvesse em nós um merecimento, ainda que mínimo, a salvação não seria pela Graça de Deus, mas, um pagamento ao nosso esforço.
      Quanto ao texto que você citou (2Pe.3.9), leia-o com atenção e você verá que o “todos” se refere aos “crentes” a quem Pedro dirigiu sua carta.
      O mesmo ocorre em 1Tm 2.4: “o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. O “todos” aqui não se refere à totalidade da raça humana, mas, sim, na teologia paulina, refere-se aos salvos. O ministério de Paulo foi pregar aos gentios. O tempo todo em suas cartas ele mostra que diante de Deus não há mais a divisão: judeus e gentios (Ef 2.14), e que, o mesmo sacrifício que vale para um, vale para o outro (o de Jesus). Logo, “todos” (judeus e gentios) estão salvos.
      Por fim, ressalto que as velhas regras de hermenêutica não podem ser desprezadas: (1) a Bíblia explica a Bíblia; (2) não se faz doutrina em cima de versos isolados.
      Aplicando essas regras aqui veremos que isoladamente, esses dois versos são os únicos que dão base para a salvação universal (todos os seres humanos). Assim sendo, eles estariam contradizendo todo o restante da Bíblia em que vemos muitos (mas, muitos mesmo!) textos que provam que Deus escolheu para Si um povo, e que foi somente por esse povo que Jesus morreu (Expiação Limitada como veremos em breve aqui).
      Agora, ressalto só mais uma coisa que venho fazendo desde o princípio. Se o universalismo (salvação de todos os homens) é verdadeiro, porque então pessoas vão para o inferno hoje? Seria somente pela vontade delas? Seria o sangue de Jesus potente para salvar uns e não salvar outros? Assim sendo, que garantia poderíamos ter de que Ele é poderoso para nos salvar? Só consigo responder isso entendendo que Deus escolheu um povo para Si, e os que Ele não escolheu, o fez porque Ele quis, por serem pecadores.
      É por isso mesmo que não vejo como melhor do que os outros pecadores, pois, nada havia em mim para que Deus quisesse me salvar; mas, Ele me quis salvar por amor a mim. Se Ele não quis revelar (conceder) o Seu amor a todos é porque Ele é soberano (Rm 9.6-18). (Aqui, sem revanchismo ou rivalidade, gostaria muito ver a interpretação arminiana sobre esse texto).
      Eu não consigo admitir Jesus derramando o Seu sangue precioso por uma pessoa, e no final, essa pessoa ir para o inferno, até mesmo porque os que “nascem de novo” nascem não pela vontade da carne ou do sangue, isto é, do homem, mas, pela vontade de Deus (Jo 1.12,13).
      Espero ter esclarecido um pouco mais meu ponto de vista.
      No amor de Cristo
      Olivar

      • João Carlos Ferreira Batista disse:

        Reverendo,obrigado.
        bom quanto a interpretação do texto,eu quero deixar para o irmão Georges,visto que ele compreende melhor do que eu,eu não entendo muita coisa,só creio que a expiação é ILIMITADA!,obrigado pela resposta,Deus ti abençoe em Cristo.

  9. Olivar Alves disse:

    Amado Arthur
    Não pense assim de si mesmo e muito menos de nós. Como Paulo não quero que alguém veja em mim ou pense de mim mais do que é devido.
    O nosso foco é Jesus.
    Deus o abençoe.

    Olivar

  10. luiz disse:

    Meu caro João,eleição é só para alguns.Se fosse para todos não seria eleição.

    • Georges Nogueira disse:

      Meu caro Luiz, você não poderia estar mais equivocado!

    • João Carlos Ferreira Batista disse:

      caro Luiz,a bíblia nos mostra que Deus quer salvar a todos os homens,agora porque eles não são salvos,com sinceridade não sei ti responder,mais creio que o irmão Georges vai saber…Georges?

      • Georges Nogueira disse:

        Sim, João!
        Acredito na mesma coisa, e acredito que é o que a Bíblia nos mostra.
        Ainda não disse nada sobre isso porque é assunto para nossas próximas postagens, que tratarão exatamente deste debate sobre Expiação Universal ou limitada.
        Peço apenas um pouco de paciência de sua parte.
        Em breve postaremos os artigos tratando das duas visões a respeito da expiação.

        • João Carlos Ferreira Batista disse:

          caro irmão,Georges,estou sem paciência,vocês demoram muito!(risos)
          estou aguardando ansioso para o procimo poste,Jesus ti abençoe!

          • Olivar Alves disse:

            João, acompanhe todas as nossas conversas, tanto aqui no site como no forum. Você terá muita coisa com que se ocupar enquanto escrevemos mais sobre o assunto (risos).
            É que estou achando bom irmos devagar nesses posts para aprofundarmos o quanto pudermos nos assuntos.
            Abraços
            Olivar

            • João Carlos Ferreira Batista disse:

              no fórum é meio difícil,mais vou estar acompanhado tudo o que acontece no saite.mais realmente vocês demoram muito com as atualizações.(risos)
              Deus abençoe vocês!

  11. Fernando Castilho disse:

    Graça e paz irmãos.
    Recentemente li olivro de John Owen (Por quem Cristo morreu) um dos mais proeminentes teólogos que a Inglaterra já produziu em meados do séc. XVI, este expõe com clareza assuntos e textos bíblicos como este citado pelo irmão João Carlos Ferreira Batista em 2 Pedro 3:9 sobre a redenção universal, vejamos a página 49:
    “Vejamos agora uma outra passagem freqüentemente usada para sugerir uma redenção universal – 2Pedro 3:9. Sobre este texto, afirma-se:
    a. Deus não quer que ninguém se perca, e
    b. Deus quer que todos se arrependam.
    Visto que é somente pela morte de Cristo que os homens chegam ao arrependimento, Ele deve ter morrido por todas as pessoas.
    Não precisamos de muitas palavras para responder a isso. O apóstolo aqui está dizendo “convosco”. Quem são estes a quem ele está se referindo? Pelo contexto da carta, respondemos – são aqueles que:
    a. Recebem grandes e preciosas promessas – capítulo 1 :4.
    b. São chamados de “amados” – capítulo 3:1.
    c. São distinguidos dos escarnecedores – capítulo 3:3.
    d. São chamados, em sua primeira carta, de “eleitos” – capítulo 1:2.
    e. São chamados, em sua primeira carta, de “povo adquirido” – capítulo 2:9.
    Ora, alegar que o Senhor não iria permitir que nenhuma pessoa dessas espécies perecesse e, portanto, que Ele quer que todos os homens se arrependam, é uma tolice, sem dúvida alguma! O versículo significa claramente que são todos e apenas os Seus eleitos que Ele não quer que se percam.”

    Esclarecedor não?
    Recomento a todos a leitura deste livro. Não vou negar que parte de minha vida me dediquei a jogos eletrônicos, mas o Espírito Santo me incomodou e ainda me incomoda a “crescer no conhecimento da verdade” (2Pedro 3:18), e isto me entusiasma a ter meu tempo a crescer neste assunto ao invés de me desgastar no mundo e sair mais cansado e vazio.

    E com grande alegria que espero ingressar nessa roda de irmãos dispostos a crescer na comunhão e no conhecimento das escrituras juntos.

    Um grande abraço amados.

  12. wellington disse:

    Irmãos (quer preferidos, quer arrependidos) gostaria de expor minha opinião …
    Mesmo antes de conhecer a palavra como a conheço hoje, nunca fui adepto da doutrina da predestinação. E mesmo depois de conhecer a palavra, só pude concluir que seria absurdo crer na mesma.
    A doutrina da predestinação não torna Deus melhor do que Hitler, ou Mao-tse-tung, pelo contrário, parece até canonizá-los (rs) Esses tiranos só mataram pessoas, mas a tal doutrina faz com que Deus condene aos infernos simplesmente por condenar, só porque escolheu. Deus fez uni-duni-tê nos céus e PRONTO eis alguns salvos eis alguns condenados, Deus jogando dados ? Não, impossível !!! o Deus todo poderoso da sagrada escritura, que ama, que julgará com plena justiça, simplesmente me criou para ser feita injustiça ?
    Gosto de expor as coisas dessa forma, é uma maneira mais realista de se ver as coisas. Para quê o IDE de Cristo, se todos já foram escolhidos? Para que os chamados de Deus ao arrependimento se o mesmo Deus já escolheu alguns?
    A predestinação é baseada em poucos versículos (mal interpretados diga-se de passagem), podemos contá-los se quisermos, mas por TODA a Bíblia vemos Deus chamando o povo ao arrependimento por sua rebeldia, doutrinando, estabelecendo leis para serem seguidas, sãs doutrinas que agradam ao espirito santo e mantem a nossa comunhão com o Pai, não anulem a cruz.

  13. Olivar Alves disse:

    Wellington
    No momento em que leio seu email vejo as velhas acusações infundadas de sempre.
    A doutrina da predestinação baseada em uns poucos versículos? E mal interpretados ainda? Rapaz, você está muito mal informado. Existem muitos textos, mas eu gostaria que você me respondesse o que você entende somente com esses aqui: Rm 9.14-18; Rm 8.28,29,33; Ef 1.3-14;1Pe 1.1-2; Is 65.22; Mt 24.24; Mc 13.20,22; Cl 3.12; 2Tm 2.10; Tt 1.1; Ap 17.14.

    Mas, vamos pegar sua lógica e ver onde ela desemboca.

    “a predestinação torna Deus injusto”
    Onde e quando? Deus não precisava salvar ninguém nem mesmo revelar-Se a ninguém, porque “todos pecaram”; “não há um justo sequer”. Injusto é alguém afirmar que Deus é injusto. Ele não escolheu com base nas pessoas, mas, com base no caráter Dele. Ele tinha todo o direito de mandar todos para o inferno, sim, meu irmão (Rm 9.19-24). Ele pode fazer o que bem quiser de Sua criação. Aquela passagem em que Jesus amaldiçoa figueira que amanhece seca no outro dia mostra muito bem isso. contudo em Seu infinito amor Ele quis revelar a salvação Dele a alguns (não necessariamente poucos).
    Agora quando você diz que doutrina da predestinação torna Deus um Hitler, um Mao Tse Tung, fico impressionado. Estes malucos mataram muita gente, e consequentemente não mataram outros tantos. Por quais motivos? Por motivos puramente interesseiros e políticos. Deus revela a Sua glória quando salva pecadores que mereciam o inferno.

    “a salvação é para todos”
    Essa é a conclusão lógica do seu pensamento. Mas, o homem pode escolher aceitá-la ou não, e assim, ele se torna o responsável por si mesmo. Aqui você “resolve” a questão em relação ao homem, mas, em relação a Deus, você O torna tão impotente, tão humano quanto você, pois, Ele até quer salvar o pecador, mas, não consegue (“Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?” Is 43.13).
    Amado, o Deus que eu creio, que encontro na Bíblia (na mesma que você diz que lê) é o Deus que quer e faz, que não quer e não faz, e quando quer, ninguém o impede; e quando não quer, ninguém o força.
    Se a salvação é um convite a todos como vocês arminianos pregam, Cristo não é poderoso como diz ser, pois, a vontade do homem é mais forte que a vontade de Deus.
    A salvação é somente para os eleitos, e estes são efetivamente salvos e santificados para serem glorificados.
    Se Cristo morreu pelo Zé, mas, o Zé não O quis receber como seu salvador pessoal, então o Zé é mais forte que Jesus. Deus me livre de um jesus tão mequetrefe assim.

    “se existem os predestinados, para que pregar?”
    Meu irmão, isso é ordem de Cristo. Não discuto com Ele. Só obedeço. Contudo, devemos pregar porque a fé vem pelo ouvir (Rm 10.10-15). Não sei quem são os eleitos num grupo para o qual estou pregando o Evangelho. Só sei que se ali houver algum ou alguns eleitos, eles precisam ouvir o Evangelho para que sejam levados a crerem em Cristo. Não deixo de pregar porque sobre mim pesa essa responsabilidade (1Co 9.16).
    Se você ouve pessoas que dizem crer na predestinação agirem negligentemente, por favor, não messa a Palavra de Deus pela inconsequência destes que desonram a Deus, justamente por não compreenderem a Palavra de Deus.
    Se você não crê nessa doutrina, é um direito seu, mas, dizê-la que ela não é bíblica, é asneira.
    Rev.Olivar


Deixe um comentário

Para garantir a publicação de seu comentário, respeite nossa política de uso que você pode conhecer clicando aqui.

Antes de nos dizer que não podemos julgar, clique aqui e descubra que não só podemos como devemos.

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>