Em defesa do Pentecostalismo

08,jun,2012 por Georges Nogueira

Símbolos do Espírito Santo

 

“Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.” (Mt 5.11-12)

Fruto de um despertamento espiritual tão importante para a história da Igreja quanto a própria reforma protestante, o pentecostalismo clássico tem sido severamente atacado por todo tipo de gente.

Desde o membro das denominações históricas que não reconhece a atualidade dos dons do Espírito Santo e desdenha dos que o buscam, passando pelos incrédulos que se aproveitam do verdadeiro cisma criado no seio protestante por esse preconceito manifesto por muitos cristãos históricos, até os neopentecostais que nada querem com o Evangelho.

É bem verdade que muitas das denominações cristãs que surgiram na esteira da renovação espiritual proporcionada pelo aparecimento do pentecostalismo no mundo se perderam e se afastaram de suas raízes pentecostais, principalmente influenciadas pela desgraça da teoria da prosperidade, que como verdadeiro câncer corroeu a boa doutrina de muitas das denominações pentecostais mais expressivas, produzindo como fruto todo tipo de distorção no meio pentecostal, e afastando a milhares do Evangelho Verdadeiro.

Mas nada justifica que grupos que se afirmam cristãos, entre esses destacadamente os presbiterianos, e entre os presbiterianos principalmente alguns hipercalvinistas ignorantes transformem a prática de ofender, caluniar, perseguir e injuriar o movimento pentecostal em sua principal atividade.

Esses, dizendo-se defensores do Evangelho, vivem de blasfemar, insultar e “combater”, o movimento pentecostal, na maioria das vezes com o uso de ofensas pesadas e impropérios que não se pode conceber surgirem da boca de cristãos e menos ainda na de “pregadores” e “defensores” do verdadeiro Evangelho.

Se movidos por simples ignorância, por sentimentos de ódio e de escárnio que em nada condizem com a condição que afirmam sustentar ou se meramente por diversão doentia, despeito ou falta do que fazer, não sou capaz de precisar.

O que sei é que perseguem um movimento cristão verdadeiro, honesto e que busca a santificação da vida Cristã acima de tudo.

Ao invés de odiar de volta, de praguejar, de criar campanhas de combate a seja lá quem for, o verdadeiro pentecostal, que busca santificar sua vida e sujeita-la à atuação do Espírito Santo deve combater o mal com o bem, conforme a manifesta vontade de Deus através de sua Sagrada Escritura (Mt 5.39; Rm 12.17; 1Ts5.15; 1Pe 3.9).

Isso é o que será feito nos próximos artigos dessa série sobre o Pentecostalismo. Poderemos todos aprender sobre o verdadeiro Pentecostalismo à luz da Escritura, nos debruçando com honestidade e temor de Deus sobre os documentos históricos, testemunhos, e escritos de teólogos e estudiosos do pentecostalismo.

A intenção é demonstrar a verdadeira raiz do Pentecostalismo Clássico, sua Doutrina, as teologias medonhas que a contaminaram, e, sobretudo, a vilania e a leviandade de alguns que, se dizendo cristãos, vivem de pregar não a Boa Nova de Cristo, mas o ódio a cristãos sinceros e o desprezo pelas manifestações verdadeiras dos dons do Espírito Santo que não foram capazes de compreender.

Que Deus nos abençoe nessa jornada.

Trackbacks/Pingbacks para este artigo

  1. Resposta a um cristão sincero | A Palavra que Liberta

11 Comentários para " Em defesa do Pentecostalismo "

  1. Rev Ronaldo Bezerra de Oliveira e Souza disse:

    IRMÃO Georges , ( não sabia que o senhor era Pastor )

    não posso concordar com esta sua afirmação :Mas nada justifica que grupos que se afirmam cristãos, entre esses destacadamente os presbiterianos, e entre os presbiterianos principalmente alguns hipercalvinistas ignorantes transformem a prática de ofender, caluniar, perseguir e injuriar o movimento pentecostal em sua principal atividade. O senhor usa também o termo BLASFEMAR …. que coisa horrível .

    A IPB – Igreja Presbiteriana do Brasil considera os pentecostais , principalmente os pentecostais históricos , dentro da maior estima e consideração possível , tanto é que RECEBEMOS POR TRANSFERÊNCIA IRMÃOS ADVINDOS DE IGREJAS PENTECOSTAIS e também DAMOS CARTA DE TRASNFERÊNCIA PARA ESTAS IGREJAS .

    Não é prática da IPB e o desafio a apresentar algum documento emitido pela IPB QUE OFENDA , INJURIE ou pERSIGA O MOVIMENTO PENTECOSTAL . NÓS SERVIMOS A CEIA DO SENHOR A IRMÃOS PENTECOSTAIS , o que na recíproca não é sempre verdadeira .

    AO CITAR NOMINALMENTE A IGREJA PRESBITERIANA ( e elas são mais de 06 hoje ) NÃO CREIO QUE O IRMÃO TENHA SIDO SINCERO E VERDADEIRO e como pastor/ministro presbiteriano GOSTARIA QUE O IRMÃO ME ENVIASSE OS DOCUMENTOS EMITIDOS PELA IPB QUE COMPROVAM ESTA SUA AFIRMATIVA , QUE NÃO ME PARECE EXPRESSAR O REAL E A VERDADE .

    Eu sou um ministro presbiteriano , sou reformado , sou calvinista , não sou pentecostal , nao creio na manifestação dos dons na atualidade como o senhor defende e NUNCA O OFENDI E NEM ME COLOQUEI DE FORMA PROIBIDA PELA IPB EM SEU SITE (O que sei é que perseguem um movimento cristão verdadeiro, honesto e que busca a santificação da vida Cristã acima de tudo). sempre respeitei principalmente a IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS DA QUAL O IRMÃO É PASTOR , ~E APRENDI ISTO DENTRO DA IPB

    NUNCA COLOQUEI QUALQUER TIPO DE OFENSA , DE PERSEGUÇÃO , DE INJÚRIA E DESWCONHEÇO ALGUM DOCUMENTO DA IPB QUE O FAÇA .

    Portanto , lamento profundamente este seu desabafo em relação Á IGREJA PRESBITERIAND DO BRASIL , que não excpressa nem a realidade e nem a verdade .

    Rev Ronaldo Bezerra de Oliveira e Souza
    ministro jubilado da IPB
    colaborador do site – PALAVRA QUE LIBERTA

  2. Olivar Alves disse:

    A resposta do Rev. Ronaldo dispensam qualquer acréscimo.
    Lamento profundamente sua posição, Rev. Georges. Também não creio na contemporaneidade dos dons extraordinários como você crê, nem por isso deixo-o de considerá-lo irmão, ou mesmo um herege, mas, começo a considerá-lo um perseguidor dos calvinistas e reformados. O hipercalvinismo ao qual você confunde muitas vezes com o Calvinismo, também está fora da minha teologia, tanto quanto o neopentecostalismo contra o qual eu me posiciono.
    Ano passado recebi na comunhão da igreja a qual pastoreio alguns irmãos pentecostais e algumas pessoas que vieram de comunidades neopentecostais. Também já dei carta de transferência para irmãos que quiseram ir para alguma igreja pentecostal.
    Recentemente numa conversa com você (precisamente no dia 07 de junho) falei com você sobre o meu respeito ao Pentecostalismo Clássico (ou Histórico) e você mesmo achou estranha minha palavra num manifesto de alguns pastores batistas que se posicionaram contra aberrações e distorções trazidas para a Igreja Batista. Admirei e apoio a postura desses pastores. Mas eu deixei bem claro com você que eu concordei com o que eles falaram em relação ao neopetecostalimo (o qual você também é contra), e ainda lhe disse que admiro o Pentecostalismo Clássico pela ética e ênfase na santificação.
    Nunca persegui e fui instruído na IPB a perseguir os assembleianos (principais expoentes dos Pentecostalismo), mas, estou sendo alvo de um pastor assembleiano aqui que abriu sua igreja de parede com a nossa que está estabelecida há 10 anos aqui no bairro (você conhece a história), e nem por isso, o Pentecostalismo caiu em minha consideração. O mesmo não acontece com você, pois, seus desafetos com hipercalvinistas o faz colocar nós Presbiterianos como “farinha do mesmo saco”.
    Não pedirei sua retratação, apenas peço o mesmo que o Rev. Ronaldo: um documento da IPB expedido pelo Supremo Concílio da mesma dizendo os absurdos aos quais você está dizendo aqui.
    Também sinto-me consternado com suas palavras especialmente por você ter dois pastores presbiterianos (da IPB) no seu quadro de colaboradores aqui.
    Deselegância, falta de informação e manipulação da verdade é o que vejo aqui no seu artigo.
    Rev.Olivar
    Um presbiteriano que respeito os verdadeiramente pentecostais, especialmente aqueles que zelam pela ética e pela santidade de vida.

    • estranho que o Sr. venha aqui dizer que respeita os verdadeiramente pentecostais, mas apóia um manifesto que os condena sem fazer nenhuma ressalva, como eu demonstro no artigo neste link.
      O Sr. diz a verdade lá ou aqui? Porque o Sr. não diz a mesma coisa nos dois lugares. Que nome se dá a isso, Reverendo?

  3. Olivar Alves disse:

    Não precisa publicar esse comentário.
    Só quero lhe dizer que a figura que você está usando nesse artigo está totalmente contra o que a Bíblia diz.
    A pomba e a chama subindo…
    O Espírito Santo,tanto em forma corpórea de pomba como em línguas de fogo CAIU e não subiu…

    Mas, isso não é importante, não é mesmo?

    • O Sr. conseguiu ver em uma imagem estática que a pomba está subindo? Impressionante!
      O fogo quando cai do céu se apaga, ou continua queimando? O que sua Bíblia diz a esse respeito? De fato, Reverendo, não é importante. São apenas provocações infantis.

      • Olivar Alves disse:

        Olhe o pezinho da pomba. Quando uma ave está pousando, o pezinho fica esticado;quando levanta voo, recolhe. Faça o teste.
        Sobre o Espírito Santo, a Bíblia diz em João 1.32: “Vi o Espírito Santo DESCER do céu como pomba e pousar sobre ele”.

        Quanto ao fogo… é verdade que as labaredas sobem quando se ateia fogo a alguma coisa. Mas, em se tratando do Espírito Santo a Bíblia diz em Atos 2.3: “E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e POUSOU uma sobre dada um deles”.

        Bem, eu quis lhe dar uma dica de que com certeza existam imagens que expressem com mais fidelidade o que a Bíblia diz sobre o assunto. Mas, se o senhor quer ficar com essa, fazer o que.
        Parece o que o assunto não é tão simples assim e muito menos uma coisa infantil…

  4. Cynthia Nogueira disse:

    Mais que tudo, quero dizer que me alegra que enfim tenha se definido pela defesa da palavra. Antes amemos a Deus.
    Eu vim de igreja tradicional (Primeira Igreja Batista de Goiânia), e fui ironizada por lá deixar de frenquentar ao reconhecer o chamado do Espírito Santo na minha vida. Chamado este que não posso negar e quem viu e ouviu não pode deixar de reconhecer a ação.
    Espero que os próximos posts venham trazer esclarecimento sobre o que é o verdadeiro pentecostalismo.
    E quanto aos irmãos presbiterianos, do mesmo modo que não se pode incluir todo presbiteriano na condição dos que julgam hereges os que creem e buscam os dons do Espírito Santo na atualidade, também NÂO SE PODE NEGAR ( E SSO FOI PUBLICAMENTE DECLARADO POR VÓS, AQUI!), que tal doutrina é rechaçada pelas igrejas tradicionais e mesmo que não hajam documentos escritos, a postura e a prática dizem isso o tempo todo.
    Portanto, dentro da minha ignorância teológica (já que não sou teológa, pastora e nem pretendo ser) não é preciso escrever algo para testificar, a prática do costume traz o ensinamento.

  5. Olivar Alves disse:

    Cara, irmã Cynthia
    Tens sorte de estar casada com u verdadeiro pentecostal; e ele tem sorte de ter casado com uma mulher sábia!
    Porém, ainda me ponho contra ao que a irmã afirma sobre prática/declaração de fé.
    A IPB não ensina, não endossa e não aceita nenhuma dessas atitudes odiosas. Sempre recebi à comunhão das Igrejas que pastoreei irmãos advindos de Igrejas Pentecostais. Eles aqui não são “rebatizados” como o são os presbiterianos que fazem caminho inverso indo para Igrejas Pentecostais. A Mesa da Santa Ceia em nossa Igreja é aberta para irmãos pentecostais que estejam em comunhão com Deus e com a Igreja deles. Eu,certa vez fui pregar numa Assembleia de Deus no Sul de Minas, e enquanto eu pregava ouvia toda aquela manifestação calorosa dos “aleluias” e “glória a Deus” enquanto pregava. Mas, era noite de Ceia. Quando o presbítero passou com os elementos da Ceia,ao estender minha mão para tomar do pão, o pastor da igreja que estava ao meu lado segurou minha mão e disse: “O irmão não pode participar da Ceia, porque o irmão não é membro dessa igreja”. Para evitar maiores constrangimentos retirei-me discretamente e fui embora. Tal prática é de toda a AD? Creio que não, pois, sei de presbiterianos que participaram da Santa Ceia em Assembleias de Deus.
    Se eu aplicar a sua teoria, então vocês estão na mesma situação que nós, não é mesmo?
    Mas, quero deixar claro que eu não creio que os dons do Espírito Santo aconteçam ainda hoje (refiro-me aos dons extraordinários, especialmente como são apresentados pelos “pentecostalóides” e “pentecostistas” que não são pentecostais de verdade), e se vocês quiserem eu posso escrever um artigo sobre isso apresentando-lhes os nossos argumentos. São contra sim, atitudes de arrogância, soberba, ataques maldosos mais embebidos de veneno do que de habilidade para discutir assuntos.
    E assim como dentro das igrejas pentecostais existem os exageros e pessoas extremadas, na IPB também tem gente que exagera e fala pelos cotovelos.
    O seu esposo, Rev. Georges, aponta que se a IPB não tem nenhum documento oficial falando contra ou a favor do Pentecostalismo, também fica em silêncio quando vê alguns de seus pastores falando mal contra o Pentecostalismo. Creio que aí chegamos na mesma encruzilhada. Por que a AD (principal expoente do Pentecostalismo) não se posiciona também com documentos rechaçando aqueles seus pastores e membros que atacam a IPB (e outras igrejas tradicionais) insultando-as por serem “frias” espiritualmente?
    Irmã, creio que precisamos conhecermo mais um ao outro para não ficarmos trocando farpas ferinas. De minha parte creio que seu esposo fará um bom trabalho mostrando não só para nós tradicionais, mas, especialmente para aqueles que têm atitudes pentecostistas que depõem contra o verdadeiro Pentecostalismo.
    Em Cristo
    Rev.Olivar

    • Qualquer pastor que se comporte como o que o Sr. citou merece ser duramente repreendido. O Sr. já procurou a Convenção dele, como recomendou fazer em relação aos presbiterianos que agem de maneira reprovável?


Deixe um comentário

Para garantir a publicação de seu comentário, respeite nossa política de uso que você pode conhecer clicando aqui.

Antes de nos dizer que não podemos julgar, clique aqui e descubra que não só podemos como devemos.

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>