Estudos na carta de Tiago – A fé cristã na prática (parte III) – a fé

06,out,2010 por Olivar Alves Pereira

Fé!

O capítulo 2 de Tiago trada da questão da Fé sob dois aspectos: a Fé em relação à Lei (v.1-13) e a Fé em relação às obras (v.14-26). No estudo de hoje veremos essa primeira parte: a Fé e a Lei.

1 – A Lei Régia (Tg 2.8)

No versículo 8,encontramos a “lei régia segundo a Escritura” e é essa lei regia que é a base não só do que Tiago está dizendo nesses versos, mas, é também, a base de toda a vida cristã. E a lei régia é: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Sabemos que o Senhor Jesus apresentou toda a Lei de Deus da seguinte forma:

“Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” (Mt 22.37-40).

2 – Cortando o mandamento pela metade?

Tiago não está “cortando” o mandamento deixando só metade dele. Antes, ele está mostrando que o mandamento não pode ser cumprido de verdade se não o for plenamente, ou seja, como direi que amo a Deus se estou deixando de amar o meu próximo? Agora, poderemos entender o que Tiago ensina aqui sobre “acepção de pessoas”.

3 – A verdadeira fé não faz acepção de pessoas (Tg 2.1)

“Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas”.

Jesus é o “Senhor da glória”, literalmente, Ele é “a Glória de Deus” habitando conosco. Assim sendo, quanta desonra para Ele é o praticarmos acepção de pessoas. A acepção de pessoas é baseada na “aparência”, ou seja, naquilo que a pessoa aparenta ser e ter. O contraste aqui está no fato de que em vez de olharmos para as pessoas tomando como base a gloriosa graça de Deus revelada em Cristo (o que nos levaria a amar as pessoas sendo elas como e o que são), olhamos para elas com base na glória humana a qual é incomparavelmente inferior. A Bíblia de Estudo de Genebra em nota sobre o Tg 2.4 diz:

“Embora Deus nos chame para discernir e discriminar entre o bem e o mal, uma distinção baseada sobre meras exterioridades, tais como status econômico, diferenças étnicas e coisas semelhantes, é vista como uma forma pervertida de juízo”.

4 – Quem é mais amado por Deus: o pobre ou o rico?  (Tg 2.5-7)

Não temos qualquer base neste texto ou em qualquer outro da Bíblia para afirmar que os pobres são os escolhidos de Deus, ao passo que os ricos são preteridos (rejeitados). Deus não escolheu para Si pessoas com base nos padrões desse mundo. A eleição divina é com base  exclusiva na Graça de Deus que por Sua livre e soberana vontade decidiu ter misericórdia de quem Ele quis ter misericórdia. Contudo, a Igreja sendo a família de Deus expressa o caráter e o amor de Deus neste mundo, e por isso mesmo, suas portas devem estar abertas para quem quer que seja, tanto os pobres como os ricos.

Quando Tiago menciona o fato dos ricos serem os “carrascos” que levam para tribunal e oprimem os pobres, ele não quer despertar ódio ou aversão de um grupo para com o outro, mas, sim, mostrar para os crentes que dão preferência aos ricos como se eles fossem mais importantes, que os ricos em vez de confiarem na Graça e Redenção de Cristo, confiam em seus recursos materiais para exercer o poder opressor. É fato que os pobres também podem depositar sua confiança em seus parcos recursos, o que é uma loucura semelhante à dos ricos.

5 – A misericórdia triunfa sobre o juízo, (Tg 2.10-13)

Cumpriu nove e tropeçou em um só mandamento: CULPADO! Esse é o veredito Divino. Parece um despropósito, mas, é isso mesmo. O que esses versos nos mostram é que ninguém pode condenar ninguém, porque todos são pecadores – quebram um ou outro (ou outros) mandamento(s). E se eu não caio numa área que você cai, não sou melhor do que você, pois, em outras áreas sou fraco e posso cair a qualquer momento (Tg 2.10-11).

Então não devo julgar? A Escritura não nos impede de julgarmos os fatos; o que ela nos impede é o julgarmos as pessoas, condenando-as sem misericórdia. O critério para eu julgar o comportamento de um irmão é a misericórdia, pois, é ela que evita que o juízo (de Deus) venha sobre mim. O objetivo de julgar (discernir, avaliar) as ações de um irmão é para ajudá-lo a vencer seus pecados. Para isso é necessário ter misericórdia, pois, se não a tivermos fatalmente, execraremos o irmão colocando um peso absurdo sobre ele impedindo-o de crescer na fé. Sermos misericordiosos é uma das maneiras mais claras de mostrarmos nossa filiação divina. O filho de Deus é misericordioso por que o Seu Pai é o “Pai de misericórdias” (2Co 1.3).

16 Comentários para " Estudos na carta de Tiago – A fé cristã na prática (parte III) – a fé "

  1. Thelma disse:

    Muito bom! Todos os seus estudos são muito esclarecedores. Estou com vontade até de congregar em uma igreja Presbiteriana. Se os pastores aqui de Brasília forem sábios, ou seja, usados por Deus como você e os demais desse site, aprenderei bastante.

    A paz do Senhor Jesus!

    • Georges Nogueira disse:

      Thelma:
      Vou fingir que não vi você fazer pouco caso de minha Igreja, viu?

      • thelma disse:

        Desculpe-me! Eu admiro muito a sua ousadia e sinceridade. Gosto muito dos seus estudos, inclusive das colocações da Cintia Nogueira, que acredito ser sua esposa. Ah! Eu elogiei todos os pastores do site. Qual é a sua igreja mesmo? É mais uma alternativa para mim.

        Que o Senhor Jesus continue te dando sabedoria!

        • Georges Nogueira disse:

          Era só brincadeira. Não me incomoda em nada. Foi mais para provocar o Rev. Olivar, mas creio que ele não tenha lido os comentários ainda, por falta de tempo. Sou membro da Assembleia de Deus, mas creio que seja consenso entre todos os colaboradores aqui do blog que a igreja em si é o que menos importa. Cada um tem seus motivos, históricos ou pessoais para estar onde está, mas, sem falsa modéstia, os autores aqui são mais comprometidos com a sã doutrina que a média de suas igrejas.
          Não deixe de ler, ainda nessa semana, a continuação dessa série de artigos do Rev. Olivar, e os preciosos estudos sobre a família escritos pelo Rev. Ronaldo Bezerra.

          Esteja você na igreja em que estiver, mantenha seu compromisso com O Cristo ressuscitado e se relacione com Ele. Você será luz.

          Em Cristo.

          • thelma disse:

            Obrigada, você é muito atencioso e generoso também.
            O importante realmente não é onde congregar, mas onde estiver viver em obediência ao Senhor!

            Já congreguei na Assembléia de Deus. Atualmente estou aguardando direção do Senhor em qual igreja devo permanecer.

            Não entendo porque você ainda não é Pastor. Além de ter um conhecimento profundo da palavra de Deus é atencioso. Creio que seria um excelente Pastor. Só uma coisa, que vc poderia melhorar, guando argumentar com alguém que não comungue com as suas idéias, tentar ser mais amável, mais paciente. Ovelha sabe como é…

            • Georges Nogueira disse:

              Muito embora não sejam “ovelhas” as pessoas com quem eu me irrite aqui, vou aceitar sua repreensão e seguir seu conselho, minha irmã.

              • thelma disse:

                Eu sei que geralmente as pessoas com as quais vc argumenta não são ovelhas, porém quando vc for
                pastor estará tratando com todo tipo de ovelha, então vai treinando sua longanimidade. Sei que algumas pessoas com as quais vc fala até merecem mesmo palavras mais duras.

                Georges, vc é muito abençoado! Tem uma esposa que é companheira, inteligente, conhecedora da Palavra. Acho fofo como ela sempre colabora e te apoia. Será uma ótima pastora. Acredito que o Senhor abençoará a igreja que vocês forem dirigentes. Deus determina a benção onde há amor e unidade. Vejo isso em vocês.

                Que seu relacionamento conjugal seja sempre permeado pelo amor do Senhor!

  2. Olivar Alves disse:

    Cheguei!
    Cara irmã Thelma, obrigado por suas palavras, mas, eu as devolvo para Cristo. A Ele toda a Glória e honra. Se posso pregar a Palavra com essa clareza, louvado seja Deus. Se seu coração foi abençoado, louvado seja Deus.
    Agradeço ao amado Georges por nos abrir o espaço aqui no blog dele. Eu tentei criar um pra mim há alguns anos, mas, foi um fiasco. Quando o Georges me deu essa oportunidade fiquei muito feliz. Gosto de compartilhar a Palavra de Deus.
    Georges tem toda razão e sinceridade quando fala que o nosso compromisso maior é com Cristo e não com nossas denominações. Amo muito a minha Igreja, seu sistema doutrinário e administrativo, mas, Jesus vem primeiro.
    Quanto à provocação… depois o Georges me paga uma pizza e tudo estará resolvido (risos).
    Deus vos abençoe,
    Olivar

  3. orlando.emboaba@hotmail.com disse:

    Graça e Paz amado irmão Georges, gostei muito deste blog, só fico triste com alguns comentarios sem fundamento algum, pessoas que não sabem o que fala, seria tão bom se os debates fossem dentro das escrituras.( outra coisa o Rev. Olivar é meu professor quero ser convidado para pizza rsrs.).
    Que Deus o abençõe muito.

    • Georges Nogueira disse:

      Orlando:
      quanto aos comentários, por mais estranhos que sejam alguns, não comungamos com a censura, e não permití-los baseado unicamente em minha avaliação subjetiva seria, em último caso, uma forma de censurar os comentaristas.
      Quanto à pizza, vou entrar em contato com um promotor aí de são Paulo que é meu amigo, e denunciar o Rev. Olivar por formação de quadrilha. Se tiver que pagar pizza para todos os alunos dele, só me restará fugir do país.
      Ainda bem que não incluímos a coca cola na conversa, senão a congregação inteira ia querer um “golinho”. Absurdo!

  4. Olivar Alves disse:

    Grande Orlando!!! Que bom vê-lo (ou lê-lo) por aqui também.
    Essa pizza, tá me cheirando “pizza”. Mas, vamos agendar. Envamos um pedaço pro Georges.
    Quanto ao blog, de fato esse blog é uma bênção em minha vida. No mais, desejo que ele também seja para a sua vida. Um forte abraço
    Olivar

  5. Olivar Alves disse:

    Rapaz, não fique bravo. Já disse que enviaremos um pedaço pra você, nem que seja pelo correio.
    Cara, mas, falando sério, já lhe disse que quando vieres para essas paragens, minha casa está aberta pra você e sua família. E meu amado, aqui perto de casa tem uma pizza… daquelas!
    Olivar

    • Georges Nogueira disse:

      Vamos combinar de eu passar uns dias aí, e levar vocês até o sítio do Rev. Ronaldo, no Espírito Santo, de preferência no primeiro feriadão do ano que vem.
      As pizzas serão, todas, por minha conta.

  6. Olivar Alves disse:

    Estou gostando dessa conversa….
    A minha dificuldade de sair aqui nesse feriadão é que eu só conseguirei sair mesmo na segunda semana de janeiro.
    Mas, vamos conversando…


Deixe um comentário

Para garantir a publicação de seu comentário, respeite nossa política de uso que você pode conhecer clicando aqui.

Antes de nos dizer que não podemos julgar, clique aqui e descubra que não só podemos como devemos.

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>